Sobre a vida e a morte, 50 anos e um balanço.

November 1, 2019

Este ano secaram-me duas raízes, e hoje são terra e húmus, água e vento. Uma oriunda da raíz materna e outra da raíz paterna. A minha tia Fernanda e a minha Tia Maria, hoje são tudo e estão em toda a parte.

A minha avó faz amanhã 98 anos, vive, contudo já pouco mais do que um corpo que respira. O estado, entre dois mundos, ainda que em "aparente" lucidez, revelam mais uma face deste grande mistério - o último, e que tantas vezes parece ser apenas mais um.

 

Este ano completei meio século de existência neste corpo. E assim a vida segue, o tempo, implacável e sem dar tréguas, segurando a outra ponta do fio que avança a galope, ainda que distante. Porque a ideia da morte é uma ideia abstrata. Distante

 

50 anos e outros milhares de passos, para chegar à conclusão de que poucas coisas nesta dimensão são reais.

A ideia de céu apregoada pela igreja católica durante toda a minha infância e adolescência é mentira.
A ideia de inferno também é mentira.
As histórias contadas nos livros de indios maus e cowboys bons emprestados pelo meu vizinho e devorados num ápice, eram mentira.
A ideia de que era preciso saber viver em comunidade, cumprindo as regras para que nada nos tivessem a apontar, era mentira.
A ideia de que a amizade era eterna e fiel a qualquer preço era mentira.
A ideia do bom emprego, da segurança da casa e dos bens materiais era mentira.
A ideia do bom marido, fiel e companehiro era mentira.
A ideia do futuro ser melhor era mentira.
A ideia do sacrificio para sobreviver era mentira.
A ideia de dar tudo na esperança do retorno era mentira.
A ideia de uma nova espiritualidade, mais humana, mais generosa, circular, inclusiva, sem competição, era mentira.
A ideia de gurus mágicos e sacerdotisas inspiradoras era mentira.
A ideia de termos que ser perfeitos, protegendo as fragilidades para não perdermos o lugar, é mentira.
A ideia de que respeitamos os outros, a nós mesmos e à vida ao nosso redor com tecnicas de basta juntar água e palavras coloridas é mentira.
A publicidade que pagamos todos os dias é mentira.
A política que elegemos é mentira.
A comida que comemos é mentira.

 

Tantas e tantas vezes eu sou mentira.
Quando digo sim e queria dizer não.
Quando exijo demais de mim mesma e dos outros.
Quando não me Vejo e não me respeito.
Quando não Vejo nem sei escutar o outro.
Quando sorrio e me apetecia chorar.
Quando permaneço calada e me apetecia gritar.

 

As minhas tias são reais, tal como o desaparecimento delas do plano físico é real.
A minha morte também será real.
Todas as vezes que já morri foram reais.
Todas as vezes que renasci também.
A força da Vida que me corre nas veias, ainda que tantas vezes sem rumo, é real.
Todas as minhas raízes, as que já se transformaram em composto e as que ainda pulsam, são reais.
A semente que se preserva é real.
Os frutos são tantas vezes tão suculentos que é impossível não serem reais.
Quando sinto o vento a dançar na minha pele a sensação é real.
Quando os meus olhos brilham abraçados por novas ideias, as minhas células transmitem-me a ideia de serem reais.
Quando sinto o amor a florir num abraço, na saudade, na aventura, também isso é real.

 

Este tempo-sem-tempo não precisa de ser real, não me importam os conceitos. Aqui celebro todas as vidas que escreveram o meu nome e já são deusas e deuses manifestando-se algures nesta terra mágica.

Aqui me celebro, me rendo e entrego à Noite Escura, e aos seus sigilos. Assim se desenha a vida. Ninguém fica de fora da roda.
Assim agradeço, às vezes em prece, outras em pranto.

Assim se cumprem os dias.

 

Mizé Jacinto

 

31 de Outubro de 2019

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

December 23, 2019

December 23, 2019

December 23, 2019

December 23, 2019

November 4, 2019

August 10, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square