Amala

August 10, 2019

 

Assim se celebra a Vida, o passar do tempo, inevitável loucura que nos esmaga os ossos e nos liberta a alma. Assim nos embriagamos no sentir que nos liga, nos envolve e revolve, numa teia e trama difícil de descrever. Assim se brinca, trazendo bálsamos para os olhos, perfumes sagrados que que a memória liberta, pouco a pouco. Assim se dança, num jogo sem regras, ajustando cada passo ao pulsar do coração, como que uivando e grunhindo, e libertando pele por pele, até não sobrar nada se não as ganas de viver, mais e mais, tanto quanto esta vida-corpo-estrela permitir. Até sermos de novo borboletas cósmicas, e sermos, assim o espero, recordadas pelo Amor que fomos, e sempre seremos. O resto é poeira e poesia. Serve-nos a inspiração a sermos vasos, e torneiras, e lamparinas em tempos de incrível e rara beleza, e de caos bárbaro e agonizante. E sei-te Irmã, de mãos abertas, de fogo nas ventas, de coração-farol, na tua verdade que também é minha - que esta vida sem PRAZER não tem graça, e que somos nós a nossa própria foice e a nossa própria linha e agulha.
E amo-te por seres o que és.

 

Mizé Jacinto, Julho 2019

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

December 23, 2019

December 23, 2019

December 23, 2019

December 23, 2019

November 4, 2019

August 10, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square